Mario Centeno

“Quando a supervisão financeira corre mal, não há falta de sorte ou azar, há inação”, diz Centeno

Mário Centeno alerta, na tomada de posse da nova presidente da ASF, que o futuro da supervisão financeira “só pode ser encarado com um reforço da coordenação entre reguladores”.

Começando por agradecer a José Almaça e Nazaré Barroso, dirigentes da ASF que agora deixam o cargo, “pelo contributo que deram para o caminho que a ASF percorreu ao longo dos últimos anos”, Centeno salientou perante a nova presidente, mas também de Manuel Caldeira Cabral, vogal do conselho de administração da ASF, que “o futuro só pode ser encarado com um reforço da coordenação entre reguladores”. E salientou que “as lições do passado recente não devem ser esquecidas”.

Pode ler mais em ECO

Related Posts

Leave A Reply